setembro 24, 2014

Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa :: Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese

Please scroll down for English version

Os meses vão passando e a minha grande odisseia lá vai avançando passinho a passinho... E agora que já lhe começo a vislumbrar o fim, acho que já vos consigo falar de tudo o que se andou a passar por estes lados. Preparem-se que vêm aí queixinhas a sério!

Dizer que tem sido intenso é pouco... Picos de inspiração seguidos de autênticos desertos criativos e um turbilhão imenso de emoções à mistura com a sua quota-parte de lágrimas. Caí no enorme erro de me comparar com as pessoas que admiro e a minha cabeça enchia-se de dúvidas e perguntas... De repente tinha todas as minhas inseguranças ao rubro e às vezes gritavam tão alto que me deixavam completamente paralisada. Muitas noites acordada afundada numa sensação de quanto mais faço mais tenho para fazer e a pensar que se calhar não sou boa o suficiente, que nunca o vou ser, que se calhar as pessoas estão à espera de mais de mim e o livro vai ser uma grande desilusão, a tentar lidar com a vergonha de um dead line há muito falhado e o seu respectivo mas-se-os-outros-conseguem-porque-é que-eu-não-consigo sempre a ecoar lá do fundo. E a maior pergunta de todas... Será que é mesmo isto que eu quero? É que isto de gostar de cozinhar e partilhar o que vou aprendendo a passar a ser oficialmente uma autora de receitas vai um grande caminho e essa responsabilidade deixa-me completamente aterrada. Eu sei, muitos devem estar a pensar... É só um livro de receitas. Mas para mim ganhou um proporção gigantesca. Sufocante mesmo.

Depois vem a parte prática da coisa. As compras sem fim, subir 4 andares com as compras sem fim, pensar nas receitas, escrever as receitas, testar as receitas e corrigir as receitas, a cozinha sempre em pantanas, a loiça para lavar, a loiça senhores, ter o resto do meu T0 bem pequenino transformado num estúdio permanente e andar a tropeçar nos props e cenários espalhados por todo o lado que-não-vale-a-pena arrumar-para-estar-a-voltar-a-tirar, as decisões, as indecisões e e os bloqueios, as fotografias e as suas milhentas repetições porque não estão mesmo, mesmo como eu quero, as crises de identidade, os dias muitos escuros, os dias com demasiada luz e os dias que passam à velocidade da luz, as horas em frente ao monitor para conseguir escolher uma única foto e se-calhar-ainda-vou-repetir-mais-uma-vez-esta-receita... Uff! Correr por gosto cansa, e muito! Tanto que às vezes cheguei a pensar que se calhar não gostava assim tanto.

Mas depois começo a vê-lo a ganhar forma e e lembro-me porque escolhi uma vida entre os tachos. Apesar de saber que nunca o vou achar perfeito sinto-me a encher de um orgulho vaidoso, aquele que vem quando damos conta que estamos a conquistar o maior desafio das nossas vidas. Mesmo que super atrasado. Mesmo com todos os momentos difíceis, dúvidas e frustrações. Não sei bem o que vem a seguir, mas essa sensação vai-me acompanhar para sempre. Também ainda não sei quando vai ser o dia em que vai estar finalmente pronto, mas já faltou mais, muito mais. Estou a fazer tudo para que seja ainda este ano, por isso não desistam de mim, não?

E pronto, é isto. Queixinhas feitas. Ainda está alguém desse lado?

Para compensar e para levantar um pouqinho mais o véu do que aí vem, fica mais uma das receitas do livro. Desta vez umas Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa. Feitas com os reis da estação, assados com um delicioso molho balsâmico, e um requeijão vegan e raw, que aproveita as sobras do leite de amêndoa. São perfeitas para receber os amigos num fim de tarde, mas por cá até já foram pequeno almoço... Mas isso fica aqui só entre nós, combinado?

Obrigada sempre por tantas mensagens de apoio e carinho.

---

Tartines de Figos Assados com Requeijão de Amêndoa
V
4 Tartines

Ingredientes

Para os Figos Assados
6 a 8 Figos
1 colher de sopa de Azeite
1 colher de sopa de Vinagre Balsâmico
1 colher de sopa de Mel ou Xarope de Ácer
1/2 colher de sopa de Rosmaninho fresco

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
200 g de Polpa de Amêndoa, sobras do leite daqui
1 Alho
2 colheres de chá de Levedura de Cerveja em pó, opcional
1 colher de sopa de Sumo de Limão
2 colheres de sopa de Azeite
2 colheres de sopa de Água
Sal Marinho Integral
Pimenta Preta moída na hora

Para Servir
4 fatias de Pão rústico
Micro Vegetais
Rosmaninho
Pistácios grosseiramente picados

Preparação

Para os Figos Assados
Pré aquecer o forno a 180º.
Lavar os figos e cortá-los em quartos.
Numa tacinha misturar o azeite com o vinagre balsâmico e o mel.
Verter sobre os figos, reservando um pouco para servir, e salpicar com o rosmaninho.
Levar ao forno por 15 minutos até caramelizar.

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
Colocar todos os ingredientes, excepto a água e os temperos, num processador de alimentos e misturar bem.
Com o processador sempre ligado acrescentar a água aos poucos até atingir a consistência desejada.
Temperar com um pouco de sal e pimenta e misturar.
Pode ser guardado num frasco de vidro hermético no frigorífico entre 3 a 4 dias.

Para Servir
Tostar as fatias de pão e barrar  com o requeijão de amêndoa.
Distribuir os figos assados pelas tartines.

Regar com o molho balsâmico e salpicar com pistácios e os micro vegetais.

---

The months go by and my great odyssey advances baby step by baby step... I'm finally seeing the end of it so I think it's time I tell you all about everything that has happened around here. Warning, some real whining ahead!

Saying it has been intense is selling it short... Peaks of inspiration followed by creative deserts mixed with an immense whirlwind of emotions with its fare share of tears. I fell in the huge mistake of comparing myself to others and my mind  filled up with doubts and questions... Suddenly all my insecurities where up to the roof and sometimes they were so loud that I felt completely paralyzed. Many nights awakened sunk with the overwhelming sense that the more I do the more I have to do and thinking that maybe I'm just not good enough, that I'll never be, that maybe people are expecting more from me and the book will be a big disappointment, trying to deal with the shame of a dead line long over due and it's respective but-if-others-can-do-it-why-can't-I echoing in the silence. And the biggest question of them all... Is this what I really want? I mean, from liking to cook and sharing what I learn to becoming an officially recipe author goes a long way and this responsibility completely grounds me. I know, many must be thinking ... It's just a cookbook. But for me it gained a massive proportion. Massive.

Then comes the practical aspects of it. The endless shopping, climbing my 4 floors with the endless shopping, thinking about the recipes, writing the recipes, testing the recipes and correcting the recipes, my kitchen always in a semi chaos state, the dishes to wash, the dishes lord, having the rest of my petite "open space" transformed into a permanent photograph studio and stumble all over the props and scenarios scattered everywhere because-there's-really-no-point-in-storing-them-because-I'm-always-using-them, the decisions, the indecisions and the creative blocks, the photographs and their thousands repetitions because they are not really, really like I want them, the identity crises, the dark days, the days with too much light and the days that pass by the speed of light, the hours in front of my computer trying to one single photo and I-might-just-gonna-repeat-this-recipe-one-more-time... Uff! Sometimes I got so tired that I even doubted my love for cooking.

But then comes that moment, when I see the book coming to life and remember why I choose to live among my pots. Despite knowing that I will never find it perfect I feel this pride filling my soul, the one that comes when you realize that you are conquering the biggest challenge of your lives. Even if super over due. Even with all the difficult moments, doubts and frustrations. I'm not sure what comes next, but that feeling will follow me forever. I also still don't know when it will finally be ready, that day will come. I'm doing everything I can so that it comes still this year, so don't give up on me!

And that's it. Whining done. Is anyone still there?

To make it up to you and lifting the veil a bit more of what's coming, here's one more recipe from the book, these Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese. Made with the kings of the season, baked with a delicious balsamic sauce, and a vegan and raw cottage chees that uses the leftover pulp of homemade almond milk. They are perfect share with friends in one of this fall evenings, but around here they have even been breakfast ... But that's just between us here, deal? 

Thank you always for so many messages of support and affection.

---

Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese
4 Tartines 

Ingredients 

Roasted Figs 
6 to 8 Figs 
1 tbsp olive oil 
1 tbsp of Balsamic Vinegar 
1 tbsp of Honey or Maple Syrup 
1/2 tbsp fresh Rosemary 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
200 g Almond pulp, leftover milk 
1 Garlic Clove
2 tsp of Nutricional Yeast, optional 
1 tbsp of Lemon Juice 
2 tbsp olive oil 
2 tbsp water 
Sea Salt 
Freshly ground black pepper 

To Serve 
4 slices of Bread 
Micro Greens
Rosemary
Coarsely chopped Pistachios 

Directions

Roasted Figs
Preheat oven to 180 degrees. 
Wash the figs and cut them into quarters. 
In bowl mix the olive oil with the balsamic vinegar and honey. 
Pour over the figs, reserving some to serve, and sprinkle with rosemary. 
Bake for 15 minutes until caramelized. 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
Place all ingredients, except water and seasonings in a food processor and blend.
With the food processor running, add water gradually until it reaches the desired consistency. 
Season with salt and pepper and mix again. 
Can be stored in an airtight glass jar in the refrigerator between 3-4 days. 

To Serve 
Toast the slices of bread and spread with almond cottage cheese. 
Distribute the roasted figs on the tartines. 
Drizzle with the rest of the balsamic sauce and sprinkle with pistachios and micro greens.


20 comentários:

  1. Às vezes faz bem fazer queixinhas!
    Esta deve ser deliciosa, mal posso esperar pelo livro... sem pressas! :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. De livros de culinária não percebo nada, mas não duvido que seja uma árdua tarefa! Ainda para mais se fores tu a fazer tudo (receitas, fotos, edição, contas, arrumar a casa, etc), vejo isso aqui pelo sócio da Noise Goods, que tb dá em doido porque é tudo em cima dele (e tem de ser mesmo assim).
    E depois eu percebo, só fica perfeito se formos nós a fazer tudo, porque não há mais ninguém que faça aquilo que estamos a idealizar!!! Só nós, só eu, só ele, só TU *
    Não desisto de ter o livro :) aguardo muito tranquila pelo resultado final.
    Muita força e parabéns <3

    ResponderEliminar
  3. Se fosse fácil, não tinha graça. Identifico-me com muito do que escreves... quando olho para trás, fica-me o misto de entusiasmo e de desalento, talvez seja esse mix de sensações (e outras coisas mais, mas isso são contas de outro rosário), que não me deixam com pressa nenhuma de fazer outro livro.
    Mas a verdade é que quando finalmente tiveres esse sonho nas mãos, vais sentir que valeu a pena!
    Eu tenho a certeza que vai ser lindo. E, mais importante ainda, que vai ser bom, oh yeah. :D
    Um beijinho grande e continuação do bom trabalho.

    ResponderEliminar
  4. Bem... além das tuas receitas saborosas e criativas e das fotos maravilhosas com que nos brindas, adoro a forma como escreves e como te expressas :) a tua escrita é deliciosa: dou por mim dentro do teu T0 pequenino, a desviar-me de cenários e props, a sentir o cheirinho dos teus cozinhados a inundar a cozinha, a sofrer com as tuas angústias e dúvidas e a vibrar com as tuas explosões de inspiração e energia contagiantes! :) em pulgas para provar as receitas de Outuno e para partilhar (cheia de orgulho) o livro que aí vem com todo o mundo <3

    ResponderEliminar
  5. Já te disse que quero esse livro na minha árvore de Natal....de 2014!!!! :P
    E adorei o desabafo tão sincero e tão terra-a-terra. É por isso que te adoro, e que sei q vai sair daí um biblia bonita para eu ter em lugar de destaque na minha prateleira da cozinha <3

    ResponderEliminar
  6. Eu te entendo. Gratidão pelo lindo trabalho que desenvolve e que serve de inspiração para mim. Grande abraço

    ResponderEliminar
  7. Não desistas. Este blog é maravilhoso - porque é que o livro iria ser diferente? Um beijinho

    ResponderEliminar
  8. As sensações provocadas por uma aventura destas devem ser mesmo esmagadoras! Tens de te lembrar que somos únicos, inspirados pelo que nos rodeia, mas sempre com um pouco de nós no que fazemos. Quem comprar o teu livro vai querer encontrar-te nele, vai querer ler-te em todas as linhas, reconhecer-te nas receitas e fotografias, sem pensar em mais ninguém, não te compares com outros. É a essência da miss vite que vai fazer com que o livro seja perfeito e único, por isso não há nada a temer! ;)

    Beijinho*
    Adorei a receita!

    ResponderEliminar
  9. Pela linda amostra que temos no blogue, certamente que o livro vai ser fantástico. As dúvidas, angústia a receios fazem parte de qualquer projecto que vale mesmo a pena.

    Tudo de bom.

    Raquel

    ResponderEliminar
  10. Obrigada pelo desabafo:) Eu estou ansiosa à espera do livro que tenho a certeza que será um sucesso!

    ResponderEliminar
  11. Está muita gente deste lado a torcer por ti e pelo teu livrinho! E desde pequenina que ouço dizer que depressa e bem, não há quem!
    Tenho a certeza que vai ficar fantástico e que o pior já passou!!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Vemos o produto final, folheamos e os olhos brilham com as fotografias e com a vontade de nos enfiarmos na cozinha e experimentarmos novas receitas. É engraçado ler o outro lado, ler o processo anterior ao produto final e sim, não pode ser fácil. Mas pensa que muitos estão deste lado à espera do mesmo! Can't wait! :)

    A.
    http://ohh-hello.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. Estou sedenta por te ler, por ver as tuas receitas, e por finalmente poder ver o teu livro!
    Claro que há alturas em que pensas numas coisas e noutras, mas continuas e segues o teu caminho! Força mulher :) Estamos todos contigo, e adoramos o que fazes.
    Se fosse fácil, não tinha piada, não tinha o teu valor. E esse é grande e sei que vai sair daí um dos livros mais bonitos que vou ter nas minhas mãos.
    E estas tartines, pedaço de bom caminho, com os doces figos e esse requeijão que me fica a piscar o olho.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Acredito que por dares tanto de ti mesma neste projecto, que o livro vai ser espectacular, e vai reflectir verdadeiramente aquilo o que tu sentes por tudo isto, e por isso vai sem dúvida inspirar muitas pessoas. Não tenho dúvidas disso, e tenho a certeza que o livro vai ser um sucesso!! :) Por isso sê persistente, mesmo quando teimam em não surgir ideias novas, não procures a perfeição, nem te comprares aos outros, é um perda de energia. Todos nós temos o nosso percurso no mundo da cozinha, não vale a pena sequer duvidares de ti (sim, eu entendo essa sensação, já a senti 109219733 vezes depois de ter criado o meu blog...), mas tu já provaste há muito que eras capaz, e ninguém tem dúvidas disso! Por isso enche-te de orgulho do que já conseguiste até agora, não te foques nos prazos, (mas faz por libertar essa bíblia antes do Natal, porque este ano já sei o que quero <3!).

    Ah,e essa receita? Que incrível! Opá, enganaste-me completamente com esse requeijão da fotografia :o Bem, mais uma prova de que o livro vai ser espectacular!!

    Beijinho grande, e força na recta final!

    ResponderEliminar
  15. Sei que tudo vai correr bem e o livro...um SUCESSO! Daqueles que vamos querer ter e guardar, como se fosse um tesouro...

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  16. Andava ansiosa por um novo post teu :) imagino o trabalhão que dá pensar em receitas, experimentar, testar novamente, ter ideias, fotografar enfim tudo o que é preciso para fazer um livro. Mal posso esperar pelo livro. Tenho a certeza que vai ser O livro :)
    Beijinhos enormee muita força :) Todos temos momentos de menos confiança em nós próprios (uns mais que outros) por isso confiança :) és a maior :) beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Olá Joana, percebo perfeitamente o que dizes e acho que fizeste muito bem em desabafar, até porque já tínhamos saudades tuas e das tuas fotos maravilhosas!
    Quero muito ter o teu livro - autografado! - na minha prateleira dos favoritos :)
    Muita energia para esta fase final!
    Beijinho
    Teresa
    (já tinha escrito um comentário antes, mas julgo que, sem querer, não chegou a seguir)

    ResponderEliminar
  18. Não acredito que já não vinha cá há tanto tempo. Que vergonha! Tive saudades :) Adoro o blog e fico à espera do livro com entusiasmo!
    Beijinhos e uma boa semana. Muita força!!

    ResponderEliminar